CXEB - Clube de Xadrez Epistolar Brasileiro
Clube de Xadrez Epistolar Brasileiro
Leva o Xadrez, traz o Amigo


FORÇA ENXADRÍSTICA POSTAL NO CENÁRIO MUNDIAL
Por IM-ICCF Richard M. Fuzishawa

        Navegando pela internet encontramos uma infinidade de informações sobre quase todos os assuntos que podemos imaginar. Logicamente nós, entusiastas por xadrez à distância, procuramos assuntos correlatos e muitas vezes encontramos centenas ou até milhares de sites em diversas línguas com informações sobre a nobre arte de Caíssa.

        Em uma destas "viagens" encontrei um site chamado Viking Chess, do dinamarquês Karsten Fyhn, que mantém um texto interessante sobre uma pesquisa de média de rating ICCF dos seis primeiros jogadores de cada país. Os dados desta pesquisa foram extraídos do programa ELOQUERY da ICCF e contém informações estatísticas muito relevantes.

        Motivado por estas informações, ampliei esta pesquisa do Sr. Fyhn e elaborei várias tabelas com as médias dos seis primeiros jogadores de cada país, analisando em maior profundidade os países das América Latina e o Brasil em particular. Gostaria de compartilhar estas informações com os associados do CXEB e com os visitantes da nossa Home Page !

        O escopo deste levantamento : as últimas cinco listagens da ICCF e os critérios para selecionar os seis jogadores de cada pais, abaixo descritos :
                a. Jogadores com rating fixo (com mais de 29 jogos no ELOQUERY);
                b. Jogadores ativos (ter algum resultado nos últimos 5 anos).

        Para acessar a pesquisa, clique na coluna do ELOQUERY desejado.

ELOQUERY VALIDADE
1999 01.07.1999 a 31.03.2000
2000/1 01.04.2000 a 30.09.2000
2000/2 01.10.2000 a 31.03.2001
2001/1 01.04.2001 a 30.09.2001
2001/2 01.10.2001 a 31.03.2002


DISTORÇÕES DAS MÉDIAS DOS RATINGS

        Algumas distorções foram encontradas nos países que possuem poucos jogadores e que por algum motivo apresentaram alguma variação neste número. Podemos citar duas situações que refletiram-se nesta pesquisa: abandono de algum jogador das competições da ICCF (caso do chileno Pedro Taboada), ou quando algum jogador saía da lista da ICCF, afetando o rating médio do país. Podemos notar estas distorções no Azerbaijão, Geórgia, Chile e Marrocos.

         Azerbaijão - possuía 4 jogadores em 1.7.1999, que geraram rating médio 2391 (50ª posição), porém em 1.10.2001 somente o jogador mais forte permaneceu na lista e a média foi para 2528, correspondendo à 26ª posição na pesquisa.

         Geórgia - em 1.7.1999 havia 5 jogadores com rating médio 2165 (73ª posição) e em 1.10.2001 apresentou somente dois jogadores : IM-ICCF Paata A. Gaprindashvili com rating 2620 (!) e Omar S. Leluashvili com rating 2299, que elevaram a Geórgia para a 41ª posição com rating médio de 2460.

         Chile - este fenômeno foi inverso, em 1.7.1999 possuía rating médio de 2383 (52ª posição) e na relação de 1.10.2001 o Chile apareceu com rating médio de 2198 (69ª posição) devido ao abandono do jogador Pedro Taboada das competições da ICCF. Em 1.7.1999 Taboada tinha rating 2441 e em 1.10.2001 apareceu com rating 1895.

         Marrocos - também apresentou distorções, em 1.7.1999 possuía somente um jogador, SIM Khalid Chorfi com rating médio 2483 colocando Marrocos na 35ª posição e em 1.10.2001, o Marrocos apareceu com rating médio de 2211 (67ª posição) com o surgimento do jogador Khalid Benbachir com rating 2016.


ANÁLISE DO CONTEXTO MUNDIAL

        Para que possamos analisar o cenário mundial, elaborei um QUADRO COMPARATIVO contendo as cinco relações pesquisadas. Temos algumas conclusões interessantes:

        1. As três primeiras posições não se alteram nas cinco relações. Nessas posições estão a Alemanha, Holanda e Rússia. Comprovadamente são os países mais fortes da atualidade na prática de xadreez á distância.

        2. Os alemães estão "abrindo" uma "vantagem" maior, pois além do rating médio alemão estar aumentando, o rating médio da Holanda, segundo colocado, vem decrescendo;

        3. As maiores evoluções nas primeiras posições são da Polônia (7ª posição em 1.7.1999 e 4ª posição em 1.10.2001) e da França (15ª posição em 1.7.1999 e 9ª posição em 1.10.2001);

        4. A Dinamarca, Argentina e Hungria oscilaram pouco e se mantêm em quinto, sexto e oitavo lugares respectivamente;

        5. A Inglaterra teve uma "queda" de quinto lugar em 1999 para oitavo em 1.4.2000 devido à retirada do GM Dr. Jonathan Penrose (rating 2711) para a inatividade. Na ultima relação a Inglaterra recuperou uma posição e está na sétima posição;

        6. Em décimo lugar aparece a Suécia, porém convém lembrar que na próxima relação o GM Ulf Andersson deverá ter rating fixo, pois na relação de 1.10.2001 ele possui rating 2731 e 29 partidas e elevará bastante o rating médio da Suécia.

        7. Os países com as maiores alterações em termos de posição foram Índia, 15 posições (62ª posição em 1.7.1999 para 47ª posição em 1.10.2001), Brasil, 13 posições (32ª posição em 1.7.1999 para 19ª posição em 1.10.2001), Uruguai, 11 posições (63ª posição em 1.7.1999 para 52ª posição em 1.10.2001) e Cuba 10 posições (48ª posição em 1.7.1999 para 38ª posição em 1.10.2001).

ANÁLISE DO CONTEXTO LATINOAMERICANO

        O quadro abaixo auxiliará na analise do contexto latino americano:


Pais
19992000/12000/22001/12001/2
6ARG2596 ( 6)2593 ( 6)2590 ( 6)2591 ( 7)2592 ( 6)
19BRS2486 (32)2543 (21)2545 (21)2549 (22)2568 (19)
35PER2477 (36)2470 (37)2472 (36)2477 (37)2492 (35)
38CUB2404 (48)2458 (40)2469 (37)2465 (38)2485 (38)
52URU2288 (63)2327 (58)2347 (56)2373 (54)2387 (52)
53MEX2347 (57)2285 (61)2217 (68)2270 (63)2356 (53)
62COL2201 (70)2177 (70)2272 (63)2283 (62)2282 (62)
66GUA2211 (68)2215 (66)2220 (66)2212 (68)2216 (66)
68NCG2150 (74)2139 (72)2137 (73)2149 (73)2205 (68)
69CHI2383 (52)2322 (59)2330 (59)2195 (69)2198 (69)
72CRA2208 (69)2223 (64)2182 (71)2181 (71)2160 (72)
73ECU2177 (72)2212 (67)2213 (69)2220 (67)2118 (73)

BOL2078 (76)2078 (73)2078 (75) ( 0) ( 0)

DOM1991 (78) 0 ( 0) ( 0) ( 0) ( 0)

VEN1751 (79) 0 ( 0) ( 0) ( 0) ( 0)

        Verificamos que as maiores acessões foram as relatadas no item 7 do tópico anterior: Brasil, Uruguai e Cuba !

        Analisaremos o Brasil em item especifico, algumas considerações dos demais países:

         Argentina - continua sendo a maior força técnica do continente latino americano. Destacadamente encontra-se entre as dez maiores forças do mundo.

         Uruguai - teve o incremento de 99 pontos na média do rating e curiosamente esta evolução foi feita de maneira gradual, demonstrando consistência no jogo uruguaio.

         Cuba - incremento de 81 pontos na média do rating. Com certeza teremos muitos cubanos titulados nos próximos anos.

         Peru - incremento de 22 pontos na média do rating. Temos o surgimento de vários jogadores novos (IM Cesar Musitani, IM José Ortiz e IM Gino Figlio), que somados aos outros mestres peruanos já existentes, deverão colocar o Peru em uma posição destacada pelo menos no cenário latino americano.


ANÁLISE DO BRASIL

        Há quase cinco anos o Brasil tem se projetado com maior ênfase no cenário mundial. Na relação de 1.7.1999 o Brasil contava com 564 jogadores ativos na lista ICCF e 9 Mestres Internacionais. Em 1.10.2001 este número subiu para 844 jogadores ativos, 4 Mestres Senior Internacionais, 26 Mestres Internacionais e uma Grande Mestre Internacional Feminina.

        Este panorama reflete-se nesta pesquisa ! Podemos verificar que o Brasil iniciou na 32ª posição na lista de rating de 1.7.1999 com rating médio de 2486 e nesta relação já contávamos com três Mestres Internacionais !

        Na relação seguinte tivemos um salto significativo devido à inclusão do associado Carlos Evanir Costa com rating 2616 ! Nesta relação o Brasil apareceu na 21ª posição com rating médio de 2543, entrando para o seleto grupo dos 2500 de média.

        Nas relações de 1.10.2000 e 1.4.2001 não tivemos variações significativas, porém notamos que o rating médio sempre subiu ! Na relação de 1.10.200 mantivemos a 21ª posição com rating médio de 2545 e em 1.4.2001 descemos uma posição, 22ª, porém o rating médio subiu para 2549 e pela primeira vez os seis jogadores conseguiram rating maior que 2500 !

        Na última relação chegamos à 19ª posição com rating médio de 2568 e 5 jogadores titulados: dois Mestres Internacionais Senior e três Mestres Internacionais.

        Com estas informações podemos concluir que o Brasil não só aumentou o número de jogadores no cenário internacional, como também melhorou qualitativamente, fato refletido no aumento do rating médio desta pesquisa ao longo do tempo.

        Abaixo podemos visualizar os seis jogadores das cinco últimas listas da ICCF:

MÉDIA DOS SEIS PRIMEIROS JOGADORES DO BRASIL

ELOQUERY 1999 (01.07.1999 a 31.03.2000)

PaisTituloNomeRatingJogos
1 BRS
Gonçalves, José Antonio S. 2570 41
2 BRS
Galvão, Luiz Carlos dos Santos 2487 43
3 BRS IM Cresce, Salvador Homce de 2483 64
4 BRS IM Alvarenga, Reynaldo Augusto Ferraz de 2470 119
5 BRS IM Portilho, Gilberto Fraga 2462 207
6 BRS
João, Névio 2445 101



2486

ELOQUERY 2000/1 (01.04.2000 a 30.09.2000)

PaisTituloNomeRatingJogos
1 BRS
Costa, Carlos Evanir 2616 46
2 BRS
Gonçalves, José Antonio S. 2562 68
3 BRS
Chrestani, Gilson Luís 2545 35
4 BRS
Maia, José Eduardo Bastos de Oliveira 2521 31
5 BRS SM Cresce, Salvador Homce de 2515 75
6 BRS IM Galvão, Luiz Carlos dos Santos 2496 50



2543

ELOQUERY 2000/2 (01.10.2000 a 31.03.2001)

PaisTituloNomeRatingJogos
1 BRS
Costa, Carlos Evanir 2640 57
2 BRS
Gonçalves, José Antonio S. 2551 78
3 BRS
Chrestani, Gilson Luís 2544 42
4 BRS IM Maia, José Eduardo Bastos de Oliveira 2524 38
5 BRS SM Cresce, Salvador Homce de 2516 76
6 BRS IM Galvão, Luiz Carlos dos Santos 2496 50



2545

ELOQUERY 2001/1 (01.04.2001 a 30.09.2001)

PaisTituloNomeRatingJogos
1 BRS
Costa, Carlos Evanir 2644 62
2 BRS
Gonçalves, Dr. José Antonio S. 2555 85
3 BRS
Bernardino, Zelio 2526 178
4 BRS SM Cresce, Salvador Homce de 2526 80
5 BRS
Piccoli, Fábio Bidart 2524 55
6 BRS
Chrestani, Gilson Luís 2516 55



2549

ELOQUERY 2001/2 (01.10.2001 a 31.03.2002)

PaisTituloNomeRatingJogos
1 BRS
Costa, Carlos Evanir 2649 66
2 BRS SM Oliveira, Márcio Barbosa de 2565 169
3 BRS IM Gonçalves, Dr. José Antonio S. 2556 90
4 BRS IM Bernardino, Zelio 2555 201
5 BRS IM Piccoli, Fábio Bidart 2554 106
6 BRS SM Cresce, Salvador Homce de 2530 81



2568

        Nesta pesquisa constatamos que somente dois jogadores apareceram nas cinco relações: IM José Antônio Gonçalves e SIM Salvador H. de Cresce. Abaixo o quadro com a relação completa:

RELAÇÃO DOS JOGADORES BRASILEIROS

NomeParticipações
SIM Cresce, Salvador Homce de e IM Gonçalves, Dr. José Antonio S.5 vezes
Costa, Carlos Evanir4 vezes
IM Galvão, Luiz Carlos dos Santos e IM Chrestani, Gilson Luís3 vezes
Maia, José Eduardo Bastos de Oliveira; IM Bernardino, Zelio e IM Piccoli, Fábio Bidart2 vezes
IM Alvarenga, Reynaldo Augusto Ferraz de; IM Portilho, Gilberto Fraga; SIM João, Névio e SIM Oliveira, Márcio Barbosa de1 vez

        Nossa participação no cenário mundial esta aumentando e já temos muitos frutos traduzidos em titulação e agora, comprovadamente, pela força enxadrística representada nesta pesquisa. Estamos disputando a final da XII Olimpíada (provável 7a. colocação entre 12 equipes fortísismas !), já nos classificamos para a final da XIII Olimpíada e lutamos para classificarmo-nos para a final da XIV Olimpíada. Temos vários jogadores disputando várias fases dos Campeonatos Mundias, além de um representante na Final da X Copa do Mundo...

        Esperamos que em breve tenhamos vários jogadores atingindo a titulação de GM, fato que efetivamente elevaria o xadrez postal brasileiro ao seleto grupo de paises com jogadores GMIs.

        (Agradeço a colaboração na revisão deste artigo ao amigo Alberto P. Mascarenhas)